14:51

acordei e você estava lá
me olhava com curiosidade
feito criança a descobrir o mundo
pisquei uma, duas, três vezes
e você ainda estava lá

ainda que frágil, quis parecer forte
e me fiz assim em pedaços
mas a ternura que havia em você me abraçou
tomou-me pela mão e me amou
destruída, aos pedaços, amou-me assim
além das imperfeições

o que havia em mim não quis fugir
o que estava em mim não viu ameaça,
armadilha ou qualquer coisa do tipo

(a mão que me acolhia era a mesma que me abraçava)

há de haver alguma explicação
talvez não nesse mundo
nem em outros
nem em lugar algum que se possa ver ou tocar
nem mesmo nos livros que costumamos ler
ou nas músicas que você me fez escutar
mas há de ver em algum canto escuso da alma
qualquer coisa, uma pista ou sei lá
que me explique, elucide, examine
que me faça entender
o que é que os seus olhos viram ao me ver

11:08

Nunca tive grandes ambições, sabe? Grandes desejos, coisas megalomaníacas. Sempre imaginei minha vida simples, leve. O máximo que já pensei em realizar foi abrir um bar, mas numa cidade não muito grande também que é pra manter a calma. É que sempre quis viver assim leve, devagar, como se estivesse aqui só a passeio, sem protagonizar nada. E acho que é bem isso mesmo. Quero dizer, são 100 bilhões de galáxias nesse nosso universo em expansão, como é que eu vou protagonizar alguma coisa senão minha própria e pequena história? Mas aí uma coisa aconteceu. Entre essas mais de 7 bilhões de protagonistas que habitam a Terra, eu te encontrei. E, putz, como explicar essa equação? Como entender o tempo, os caminhos e tudo o que levou minha alma a encontrar a sua? O quão incrível e maravilhoso é isso?

Isabella Mariano

Blog com conteúdo autoral da escritora Isabella Mariano.

Conheça meus livros!

Saiba mais clicando aqui.