Saulo

15:26

A notícia veio como um meteoro gigante atingindo e destruindo todo o meu mundo. Nunca pensei que fosse possível sentir tanta dor. Ao mesmo tempo, agora, não sei quando ela irá acabar. As lágrimas escorrem incessantemente. Mas eu precisava juntar as forças e fazer o que eu mais amo, em homenagem ao amigo que mais amo: escrever. Seja a minha a melhor gramática, a melhor semântica, a melhor retórica, sei, nunca conseguiria escrever um texto tão incrível quanto você merece, mas estou aqui. Você sempre me impulsionou a ser o melhor de mim e é isso que eu estou fazendo exatamente agora.

Não desejo que as pessoas leiam todo esse texto, desejo apenas, na minha fé, que você sinta todo o meu amor. Eu te amo, amigo, meu irmão. Vou sempre amar. Nada conseguiria desfazer essa injustiça que cometeram com você. Mas eu imagino você aqui, como sempre procurando a esperança, dizendo para mim que foi para um lugar melhor. Imagino você me confortando, imagino você dizendo que, agora sim, encontrou seu lugar.

"Se eu encontro em mim um desejo que nenhuma experiência desse mundo possa satisfazer, a explicação mais provável é que eu fui feito para outro mundo". Lembra? Nossa frase, nossa sina. Imagino você sorrindo, no esplendor, tentando me dizer de alguma forma "Deus te ama sim, estou com ele aqui". E te ama, também.


Eu te conheci tinha 15 anos. Uma adolescente, pra frente, linguaruda, que achava saber tudo sobre quase tudo. Você, sempre tão amável, me amou. E quando você me amou, querido, eu me despedacei. Sem medo, para você, reconheci todas as minhas falhas e os meus não-saberes. E você continuou me amando. Mais até do que eu imaginava merecer.

Você sempre esteve presente. Sempre. No meu aniversário de 16 anos, lembro, você me fez um cartão tão lindo. Tinha eu, tinha você e tinha a pracinha de Jardim Camburi, onde a gente se conheceu. Onde costumávamos passar horas e horas conversando, sobre a vida, sobre Deus e sobre os nossos questionamentos mais profundos que, imaginávamos (e talvez fosse verdade), que ninguém mais seria capaz de entender. Você sempre foi tão criativo. Me deu tantos cartões bonitos. Tenho todos guardados.

Eu vou conviver com a dor, como você tão corajosamente, me mostrou ser possível. E me ensinou ainda mais: é possível conviver com a dor, transformá-la em esperança e desfrutar do amor de Deus. Tudo ao mesmo tempo. Esses dias você disse que sua terapeuta pediu para você fazer listas: uma com suas qualidades e outra com os defeitos. E ela pediu para você perguntar, também, aos seus amigos, suas qualidades e seus defeitos.

Pra mim, foi tão fácil falar das suas qualidades. Saulo, meu amigo, meu irmão, você é simplesmente a melhor pessoa que eu já conheci. Quando veio a parte dos defeitos, não consegui pensar em dez, como você queria, mas consegui pensar em alguns. Mas a minha lista de defeitos é tão maior que a sua que me sinto imensuravelmente grata por você me amar, ainda assim. Ter me amado.

Não sei mais o que fazer. Preciso me reconstruir, preciso que você me diga que está comigo, em algum lugar. Me ajudando quando eu ficar bêbada, rindo dos meus casos, tentando entender minhas crises existenciais, me fazendo companhia para ver bob esponja na tv, se fantasiando comigo, pagando mico, chorando e orando comigo. Sem você pra compartilhar, a vida perde a cor. E a tatuagem que a gente queria fazer juntos? E agora? Preciso tanto de você. 

Te amo pra sempre. Nesse ou em outro mundo.

3 comentário(s)

  1. Me emocionei! Foi uma história de amor. Pelo que li pareciam que viviam mais do que amigos. Que Deus conforte seu coração, faça a tatuagem que vocês iriam fazer juntos. Será uma grande lembrança pra você!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Gabriel. Éramos feito irmãos... Obrigada!!

      Excluir

Isabella Mariano

Blog com conteúdo autoral da escritora Isabella Mariano.

Conheça meus livros!

Saiba mais clicando aqui.