14:51

acordei e você estava lá
me olhava com curiosidade
feito criança a descobrir o mundo
pisquei uma, duas, três vezes
e você ainda estava lá

ainda que frágil, quis parecer forte
e me fiz assim em pedaços
mas a ternura que havia em você me abraçou
tomou-me pela mão e me amou
destruída, aos pedaços, amou-me assim
além das imperfeições

o que havia em mim não quis fugir
o que estava em mim não viu ameaça,
armadilha ou qualquer coisa do tipo

(a mão que me acolhia era a mesma que me abraçava)

há de haver alguma explicação
talvez não nesse mundo
nem em outros
nem em lugar algum que se possa ver ou tocar
nem mesmo nos livros que costumamos ler
ou nas músicas que você me fez escutar
mas há de ver em algum canto escuso da alma
qualquer coisa, uma pista ou sei lá
que me explique, elucide, examine
que me faça entender
o que é que os seus olhos viram ao me ver

0 comentário(s)

Mezzo jornalista, mezzo poeta. Minha vida é um (des)equilíbrio entre Beyoncé, Big Brother Brasil, Damien Rice, Maria Rita, feminismo, Leminski, Alan Moore e George Orwell. Isabella Mariano, 25 anos, Vitória, Espírito Santo.