Morte?

23:04

Ela decidiu ficar parada e tentar falar qualquer coisa com Deus. Tinha sido privilegiada em saber que possuía alguns minutos para decidir para onde iria sua alma antes de, por completo, falecer. E achou tão sobrenatural aquilo que esqueceu a dor. Era algo tão físico que, simplesmente, negligenciou; Estava feliz por saber que iria encontrar o Rei dos reis.
Nada mais importava agora. Era como quando se arrumava para ver seu noivo. Nada mais importa que fazê-lo feliz e impressioná-lo cada dia. Tomou todo e qualquer tipo de tristeza, dor, angustias e reclamações e deu descarga. Jogou fora, mesmo.
Essa situação era bem diferente de querer morrer, ela só sabia que estava indo e, então, se preparou para isto.
- Que loucura - pensou - Tem uns anjos dançando em volta de mim e de vocês.

"Tragédia", "Jovem morre atropelada por ônibus". Qualquer coisa que se fosse dita não descreveria o que realmente ocorreu, o que ela sentiu de verdade. Pode ser difícil imaginar que ela esqueceu da dor. Quem sabe, facilite se você comprar a dor de qualquer coisa com a grandiosidade de Deus... Talvez, eu nem saiba o que houve. E você, muito menos. Algo pode-se afirmar: a morte é uma coisa tão abominável para uma sociedade que se diz cristã.
Creio que é porque não acreditamos em nós mesmos, mesmo (Haha). Nem na humanidade e nem em nossos irmãos. Então, proponho um pequeno desafio... Imagine a pior pessoa do mundo. Imaginou? Pois é, Deus acredita nesta pessoa e a ama.

:) Beijinhos.

1 comentário(s)

  1. Parabéns, muito legal este blog.

    Não deixe visitar meu blog também.

    Bjoss e fica com Deus.
    http://euescolhoviver.blogspot.com/

    Icaro

    ResponderExcluir

Mezzo jornalista, mezzo poeta. Minha vida é um (des)equilíbrio entre Beyoncé, Big Brother Brasil, Damien Rice, Maria Rita, feminismo, Leminski, Alan Moore e George Orwell. Isabella Mariano, 25 anos, Vitória, Espírito Santo.