A viagem

01:56

A tua desgraça
Desceu pelo ralo
Lembrou-se contente
Da semente, da linhaça
Que comia calado
E pelo ralo viajava
Cheio de agrado
Quando as calças arriava
E desgraçava o ralo!

Esqueceu-se da dor
Do ralo, do calado
Foi para o canavial
Viu um roedor
Pensou: "Coitado!"
Não lhe queria mal
Mas iria para o ralo.

3 comentário(s)

  1. roda,
    corre,
    resiste,
    mas não tem saída,
    tudo sempre acaba indo para o ralo,

    ResponderExcluir

Mezzo jornalista, mezzo poeta. Minha vida é um (des)equilíbrio entre Beyoncé, Big Brother Brasil, Damien Rice, Maria Rita, feminismo, Leminski, Alan Moore e George Orwell. Isabella Mariano, 25 anos, Vitória, Espírito Santo.