"Como se fosse a primeira vez"

11:09

Olha, não sei se é porque estou num momento "preciso de alguém", num domingo, ouvindo Fruto Sagrado (Diferente dos Anjos), MAS ao ver que minha belíssima mãe está assistindo, novamente, ao filme "Como se fosse a primeira vez", eu resolvi falar dele... Olhando com "óculos cristãos".
Como a maioria sabe, a história é um romance bobo, mas não tão igual aos outros. A moça, Lucy (Drew Barrymore), tem um pequeno - ironia - problema na memória devido a um acidente e acontece que ela se esquece de tudo após durmir, quando acorda só lembra do que ocorreu até o dia do acidente.
E o rapaz, Henry (Adam Sandler), é um cara que tinha a sua vida certa (certa como a nossa, entende?), mas se encantou por Lucy que mudou seus planos... Definitivamente.
Neste filme, pude ver a síntese de uma relação amorosa, ou melhor, de um verdadeiro casamento cristão. Não é qualquer rapaz que se prontifica a arcar com todas as "despezas" das complicações da mocinha. Mas, também, não é toda moça que se compromete a descobrir toda a sua vida dia após dia.
A atitude de Henry é admirável. Após perceber que era ela mesmo quem ele queria, correu atrás. Ele poderia, facilmente, ter desistido, afinal era muito dificil e complicado. Ele conseguiria achar uma mulher bonita, saudável e com boa memória. Mas ele se apaixonou e entendeu o destino daquele sentimento.
Interpreto Lucy (re)conhecendo sua vida todas as manhãs como a questão de se apaixonar todos os dias pelo seu amigo, parceiro, companheiro, homem, marido. E é nisso que está o casamento. Na confiança que Henry criou em não ter medo de perdê-la. Ele faria tudo o que fosse preciso. A certeza de Lucy de que iria se apaixonar todas as manhãs novamente por Henry. O amor renovado por cada simples gesto. Abraços e beijos.
É por essas e outras que quando falam em casamento de maneira ruim eu já, meio acanhada, digo que acredito, sim, em uma relação duradoura e fiel. Não como uma fantasia, mas como um desafio.
Se tivermos preguiça de amar e de conquistar... É inútil esperar que dê tudo certo. (;

PS.: O nome do filme já diz tudo.

2 comentário(s)

  1. eu nunca vi esse filme, fiquei com vontade agora. HAHA(L)

    ResponderExcluir
  2. Eu gostei bastante desse filme quando o vi. E a sua analogia com um casamento cristão tbm foi bem legal, viu?
    Bom blog o seu ^^ E olha q legal: vc tbm é do ES... Vix!!! (né por nada não, acho tão difícil achar blogueiros _ inda + jovens _ bons por aqui. Ou eu q ando substimndo nossa ilha, rsrs...)
    Por fim é isso. Te achei. ^^
    Um abraço, Juh Pimentel.

    ResponderExcluir

Mezzo jornalista, mezzo poeta. Minha vida é um (des)equilíbrio entre Beyoncé, Big Brother Brasil, Damien Rice, Maria Rita, feminismo, Leminski, Alan Moore e George Orwell. Isabella Mariano, 25 anos, Vitória, Espírito Santo.