Liberdade Pessoal (Livre Arbítrio)

13:35

Liberdade pessoal, eu acredito, mesmo, nisso. Afinal, não rola de você exigir liberdade assim sem condições, né? Você se liberta disso porque você detesta, mas se prende naquilo, porque você ama (E depois de um tempo muda). Por isso eu sempre digo que as respostas da vida são tão contraditórias que pequenos e poucos as conhecem. É difcíl eu ter que dizer, ninguém vai entender. Mas eu faço meu papel e vocês os seus.
Diferente de tudo o que se pensou, ou melhor, juntando tantas verdades ditas em alguns anos atrás e no minuto que se prossegue, eu posso dizer (e você também pode) que não existe liberdade generalizada, no sentido em que se relaciona a pessoas.
"Eu quero ser livre", é transitivo e precisa de complemento, entendem? Você larga os estudos, e ama a música. Larga as drogas e se apega à religião, ou vice-versa. Desprende-se da alegria, mas ama sofrer. Que é então este raio de liberdade? Talvez só mais um termo comunista, mas que a oposição costuma usar muito, já que é um assunto que interessa a todos e nos passam tão pouco sobre ela dizendo que liberdade é fazer tudo o que você quer e deseja. Complicado dizer isso com tanta veracidade, até porque o nosso querer é tão inconstante!
Mas analise a liberdade pessoal (pode ler-se como livre arbítrio), que Deus dos deu com tanta alegria: nós temos o poder incontestável, inacabável e absoluto sobre nós mesmos. A nossa liberdade é um absolutismo monarquico para com as outras, percebe a contradição? Você acredita no amor e ama. Acredita no ódio e odeia. Acredita em Deus e em Lúcifer e segue. Acredita em reencarnação e se indaga no que teria sido em outra vida. Você bebe ou não, doa-se, sorri, chora, trai, mente, esconde, atua, mata ou dá vida. Contudo, há sempre um momento que só e exclusivamente você poderá decidir o que fazer. Tem alguns até tentando formar um parlamento, aquela coisa de Revolução Puritana e tal, mas se é absolutismo monarquico, você sendo o rei de si mesmo, decide o que irá fazer, lógico.
Vendo esse negócio que chamam de televisão, Marcelo Nova disse que a consciência foi algo inventado como instrumento de opressão. Bom, talvez tenha sido. Você tem um livre arbítrio, porque diabos há de haver "peso" na consciência? Você faz, mesmo sem certeza completa, afinal... Você morre tantando crescer, mas foi você quem quis fazer. Erou ou acertou? Aprendeu alguma coisa de certo.
Pra finalizar (tô cansada), liberdade pessoal não é tão complicado, mas daria para falar muito sobre ela. Você decide e pronto. Você é tudo o que você já fez e aprendeu, baseando-se nisso você faz suas escolhas, ouve outras pessoas ou não ouve, mas no final quem irá decidir é só você.

Beijos.

0 comentário(s)

Mezzo jornalista, mezzo poeta. Minha vida é um (des)equilíbrio entre Beyoncé, Big Brother Brasil, Damien Rice, Maria Rita, feminismo, Leminski, Alan Moore e George Orwell. Isabella Mariano, 25 anos, Vitória, Espírito Santo.