Amores

02:12

No final da vida, será quando veremos quantas mensagens de amor tivemos e quantos cartões postais recebemos. Não necessariamente no final da vida, mas é que nessa fase é que... bem, poderemos ter certeza de muitas coisas. Não que seja fácil saber seu 'final da vida'. Algumas pessoas vivem só alguns meses, outras, alguns anos... Tem gente que passa dos 100 e nem vira manchete de jornal. Mas, o fato é que querendo ou não, teremos muitos amores. Você pode ser roqueiro, retrô, virgem ou padre. Mas os amores são como figurinhas que guardamos no álbum da vida. Amores não são paixões e nem devem ser comuns e, também, não precisam de contato físico. Amores são amores. A gente entende, quando se encontra um.

3 comentário(s)

  1. Que bonito Isabella! Muito bonito! Gostei tanto! Demais. Vou linkar seu blog :)

    Abraço,

    R.Vinicius

    ResponderExcluir
  2. Eu encontrei o meu por toda vida!

    ResponderExcluir
  3. É o toque de sensibilidade necessário aos amantes!
    Eu busco a verdadeira face desse amor, ainda não sei da verdade que vivo, mas trago no peito um pingo de amor, mesmo que às vezes me achem na dureza das pedras, meu coração ainda sobrevive!

    Que nunca lhe faltem amores!
    Bjuuu

    ResponderExcluir

Mezzo jornalista, mezzo poeta. Minha vida é um (des)equilíbrio entre Beyoncé, Big Brother Brasil, Damien Rice, Maria Rita, feminismo, Leminski, Alan Moore e George Orwell. Isabella Mariano, 25 anos, Vitória, Espírito Santo.