O umbigo do mundo

02:36

Nas paredes, sorrisos marcados
Aparecia com cabelo para o alto
Duas da tarde, tinha gritado sozinha
Dança ao som de uma curta sinfonia
Um homem bom chegou a ceder
Os lugares que a fizesse entender
Sem rima ou com rima, mas sem força
Dizia para ela, para eles e a todas as moças
Que o centro do mundo
É quente, ferve e queima.

2 comentário(s)

Mezzo jornalista, mezzo poeta. Minha vida é um (des)equilíbrio entre Beyoncé, Big Brother Brasil, Damien Rice, Maria Rita, feminismo, Leminski, Alan Moore e George Orwell. Isabella Mariano, 25 anos, Vitória, Espírito Santo.